• Número da clínica

    (38) 3222-0133(fixo), 99730-0133(vivo), 3084-1889(claro), 99209-1947(tim)
Fertilização por não habilitado, à distância, riscos...
26/03/2020

Fertilização por não habilitado, à distância, riscos...

Fertilização realizada à distância:  Compensa o risco?
Temos notícias de tratamentos por fertilização in vitro oferecidos por profissionais inabilitados em reprodução assistida, geralmente com a promessa de ter o tratamento concluído em alguma capital, a preço menor, etc: “ você tomará a medicação e fará ultrassom aqui e no dia de coletar os óvulos vai até a clinica tal em tal cidade onde terá o tratamento concluindo em uma “parceria($) que temos”
Acesse nossa página www.fertil.med.br , aba noticias, e saiba risco que se corre ao se submeter a essa abordagem.

A Reprodução assistida é uma especialidade complexa que requer longo período de formação(três anos como ginecologista e dois anos de treinamento específico na técnica de fertilização in vitro e suas complicações).Isso para o profissional começar a atuar, já que a curva de aprendizagem é longa e os bons resultados geralmente ocorrem somente após anos de vida prática.

Quais os riscos de ser acompanhada neste tratamento por profissional não habilitado (geralmente algum ginecologista, ultrassonografista), sem o contato diário com o especialista assistente?
São vários esses riscos, cito apenas os principais:
1-Esse tipo de tratamento não é isento de risco e a complicação pode levar até a morte.
 No curso do uso dos hormônios a paciente pode apresentar reações adversas, com destaque para reação alérgica grave e que ameaça a vida, tais como síndrome do hiperestímulo ovariano, a qual se instalada na forma grave requer acompanhamento por profissional que tem experiência no seu tratamento, às vezes necessitando até de CTI. Imagina o quanto pode ser trágico para a paciente que desenvolve essa complicação estando sob cuidados de profissional inabilitado e distante do especialista? Neste caso o diagnóstico não é feito no início da doença e a forma grave pode cursar até para a morte. Visite o link :  https://brasil.babycenter.com/a25007223/s%C3%ADndrome-do-hiperest%C3%ADmulo-ovariano. Como a especialidade é complexa, pequenos detalhes do tratamento fazem a diferença final.
É pela segurança da paciente e pela qualidade final do tratamento que paciente e especialista devem estar próximos .Não é somente tomar injeções e fazer ultrassom. O profissional precisa fazer ajustes finos diariamente para obter os melhores resultados com segurança.
 Sendo assim, o que deve fazer a paciente antes de embarcar em uma aventura dessas?
Para proteger a si própria e o êxito de deu tratamento, sugiro que antes de iniciar qualquer tratamento a paciente tome as seguintes medidas:

1-Investigue o profissional médico que irá conduzir o seu tratamento no dia a dia:
a-Qual a formação dele em reprodução assistida?                                                               (não vale ginecologia, obstetrícia, ultrassom, etc).Você precisa saber especificamente sobre fertilização in vitro.       
b-Qual é a experiência dele em tratamento de fertilização in vitro? 
(não vale ginecologia, obstetrícia, ultrassom, etc)
c-Quantos anos  ele tem de atividade em fertilização in vitro e quantos bebês-de-proveta já obteve? Não vale partos realizados após gravidez espontânea ou com uso de medicamentos tipo clomid ou serofene, pois isso não é reprodução assistida.
d-Tente obter  depoimento de pacientes que foram assistidas por esse profissional, provas de nascimento, etc. As boas clinicas geralmente oferecem depoimento e fotos de pacientes que de identificam publicamente e se dispõe a contribuir com informações.veja nas redes sociais.
e-Tente obter informações técnicas sobre a clinica em que se tratará, como  taxa de sucesso.
A rede latino americana de Reprodução assistida, RED LARA, é uma associação que acredita as melhores clinicas do Brasil que pode lhe dar grandes informações:
Acesso o link   https://redlara.com/centro.asp?USIM5=247 e selecione o pais, cidade e o centro especializado. Clicando na lupa você acessa aos dados do centro e dos profissionais habilitados. Se o centro, ou profissional, que você escolheu não estiver listado é sinal que ele(s) não reúnem qualificação/qualidade aprovada em processo de acreditação séria. O risco é seu!
f-Pesquise nas redes sociais sobre o profissional e a clinica para saber o que as pessoas estão falando sobre eles e tire suas conclusões. Por exemplo pesquise site https://www.reclameaqui.com.br e digite o nome da clinica e terá informações que podem ser uteis.
g-Veja como é o comportamento ético da clinica escolhida. O caso do Dr. Famoso de São Paulo, queridinho das mídias na época, não pode ser esquecido.
Alguns temas tais como comercialização de óvulos, perda de material reprodutivo, uso irregular de material doado, podem custar caro aos pacientes. Quem não tem ética profissional merece sua confiança? O doutor Google, nestes casos pode ser útil. Veja posição da sociedade Mineira de ginecologia sobre uma dessas questões:
https://www.otempo.com.br/mobile/cidades/clinicas-fazem-comercio-de-ovulos-1.331276?amp
h- Comprove a legalidade daquela clinica para a prática da reprodução assistida. Enquanto na sala de espera, procure pelo alvará emitido pela ANVISA informando que aquela clinica está habilitada para ofertar reprodução assistida. Caso não encontre, pergunte à secretária.Caso ela não lhe apresente, você pode estar sendo vitima de clandestinidade.Toda clinica deve manter esse alvará à fácil leitura pelos pacientes.

Nenhuma clinica ou profissional está obrigado a oferecer o resultado desejado, mas atuar dentro da legalidade é obrigação inexcusável.
Boa sorte.