Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Histeroscopia cirúrgica no tratamento de miomas e pólipos endometriais

Histeroscopia cirúrgica no tratamento de miomas e pólipos endometriais

    Procedimento Drilling ovarianos


    A histeroscopia cirúrgica é um procedimento minimamente invasivo realizado para tratar condições como miomas submucosos e pólipos endometriais que afetam o revestimento interno do útero (endométrio). Aqui está uma descrição detalhada do procedimento:

    1. Preparação: Antes do procedimento, a paciente é geralmente anestesiada, seja com anestesia local, regional ou geral, dependendo da preferência do médico e da extensão da intervenção. A paciente também pode receber medicamentos para dilatar o colo do útero e facilitar a passagem do histeroscópio.
    2. Inserção do histeroscópio: Um histeroscópio é um instrumento fino e flexível equipado com uma câmera na ponta, permitindo ao cirurgião visualizar o interior do útero em tempo real. O histeroscópio é inserido através da vagina e do colo do útero até alcançar a cavidade uterina.
    3. Visualização e diagnóstico: Uma vez que o histeroscópio está dentro do útero, o médico pode examinar cuidadosamente o revestimento uterino em busca de quaisquer anormalidades, como miomas submucosos ou pólipos endometriais. A câmera no histeroscópio fornece uma visualização clara da área a ser tratada.
    4. Remoção de miomas e pólipos: Se forem encontrados miomas submucosos ou pólipos endometriais, o médico pode proceder à sua remoção durante a histeroscopia. Isso pode ser feito utilizando diferentes técnicas, como a ressecção por loop (utilizando um instrumento cortante elétrico em forma de loop), a vaporização ou a morcelação (fragmentação do tecido para remoção). O objetivo é remover completamente o mioma ou pólipo, preservando ao máximo o tecido uterino saudável ao redor.
    5. Avaliação e finalização: Após a remoção dos miomas ou pólipos, o médico verifica se há qualquer sangramento ou outras complicações. Em seguida, o histeroscópio é retirado suavemente do útero.
    6. Recuperação: A recuperação da histeroscopia cirúrgica geralmente é rápida, com a maioria das pacientes podendo retornar às atividades normais dentro de poucos dias. Pode haver algum desconforto leve, sangramento vaginal ou corrimento nos primeiros dias após o procedimento, mas isso geralmente é temporário.
    7. Acompanhamento: Após a histeroscopia cirúrgica, a paciente pode precisar de acompanhamento médico para garantir que a recuperação esteja progredindo conforme o esperado. O médico também pode recomendar exames de acompanhamento, como ultrassonografias, para verificar se os miomas ou pólipos foram completamente removidos e se não houve recorrência.

    A histeroscopia cirúrgica oferece uma abordagem minimamente invasiva e eficaz para tratar miomas submucosos e pólipos endometriais, permitindo uma recuperação mais rápida e menos complicações em comparação com procedimentos cirúrgicos mais invasivos.