Nos últimos anos a mídia tem anunciado artistas que se engravidaram após os 50 anos empregando técnicas de reprodução assistida. Trata-se do que chamamos de gravidez tardia, como ocorreu também com outras beldades como Ivete Sangalo e Solange couto mais recentemente.

Em condições fisiológicas(programação biológica da reprodução humana), a idade da mulher  é um fator de forte limitação da capacidade reprodutiva, de sorte que se aconselha a elas ter todos os filhos que  quiserem até os 35 anos. Após essa idade tudo se torna mais difícil: é crescente a dificuldade  em engravidar, o  abortamento se torna mais frequente e a ocorrência das chamadas trissomias em descendentes se avolumam. Quando mais velha a mulher, piores os resultados reprodutivos até que a possibilidade de gerar filhos se exaure: é a menopausa que marca o fim da vida reprodutiva, em idade média de 47 anos no Brasil).

Uma forma dramática de perda da capacidade reprodutiva é denominada menopausa prematura(falência ovariana precoce)que pode ocorrer até antes dos trinta anos.

Então, o que a medicina tem a oferecer àquelas mulheres que veem sua capacidade reprodutiva ameaçada, seja pela idade avançada, doença)tratamento câncer por exemplo) ou imprevisibilidade quanto  ao desejo reprodutivo. Para esses casos são ofertadas duas alternativas:

1-Congelamento de óvulos enquanto viáveis:

Trata-se de técnica que produziu o primeiro nascimento no Brasil em 2016, sendo que quanto mais jovem a mulher por ocasião do congelamento melhores serão os resultados futuros, idealmente antes dos 35 anos de idade. Após essa idade o caso deve ser bem avaliado com estabelecimento de protocolo específico para colher os melhores resultados.

2-Doação de óvulos:

È o recurso destinado àquelas mulheres que não tiveram a oportunidade de congelar óvulos, seja por opção pessoal  no passado, perda súbita da capacidade reprodutiva,envelhecimento, falência ovariana prematura ou fisiológica.

Neste tipo de tratamento, a clinica irá disponibilizar às candidatas óvulos doados por jovens com as mesmas características físicas das receptoras, tais como cor da pele e olhos, tipo de cabelos, grupo sanguíneo, peso, altura, etc).

A doação de óvulo é procedimento sigiloso, cujas identidades das partes envolvidas(doadores e receptores) nunca são reveladas.

Recentemente, normas do Conselho Federal de Medicina passou a permitir doação envolvendo parentes de até o quarto grau, o que quebra esse sigilo que se aplica à normal geral envolvendo não parentes.

Caso você se interesse mais por estes conteúdos, aqui mesmo no site outras informações sobre os procedimentos relacionados a essas técnicas são disponibilizados no menu “TRATAMENTOS”.

Para outras questões, faça uso de nossa via Whatsapp.