Tratamentos

A moderna reprodução assistida oferece basicamente duas técnicas, sumarizadas no vídeo abaixo e melhor descritas no texto logo à seguir:

 

 

Super ICSI

Super ICSI

A Injeção Intracitoplasmática dos Espermatozóides ou ICSI, de acordo com suas abreviaturas em inglês, é um tratamento proposto para os homens com os seguintes diagnósticos:

• contagem de espermatozóides muito baixa,
• ausência de espermatozóides no ejaculado,
• espermatozóides imóveis ou móveis sem progressão,
• porcentagem baixa de espermatozóides com morfologia normal.

No entanto, na atualidade, alguns centros aplicam o ICSI para todos os casos. O ICSI é uma Técnica da Reprodução Assistida que se diferencia da Fertilização In Vitro (FIV) na maneira de efetuar a inseminação. Enquanto em FIV colocam-se os óvulos e os espermatozóides em um meio de cultura para que ocorra a fertilização; em ICSI capta-se cada óvulo maduro e um espermatozóide é cuidadosamente injetado no seu citoplasma para que assim se realize a fertilização. Microscópio e instrumentos que têm movimentos milimétricos são utilizados para a realização deste procedimento.
Os outros passos do procedimento ICSI são idênticos aos realizados para o FIV, e que já descrevemos anteriormente em detalhes.
A taxa de gravidez em reprodução assistida depende de diversos fatores, sendo que entre eles a idade da mulher é o mais importante. Atualmente relatamos taxas de gravidez clínica em torno de 50% por tentativa, em mulheres abaixo de 35 anos.

ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozóide) é um tipo de fertilização in vitro que começou a entrar na rotina das clinicas à partir de 1993,consiste na injeção de um espermatozóide no óvulo, sendo este selecionado sob visão de um microscópio com aumento de 400X vezes.

Estudos científicos demonstraram que esse aumento não permite a visualização de uma série de alterações morfológicas relacionadas a danos do DNA do espermatozóide que comprovadamente são refletetidos na diminuição das taxas de gestação e no aumento da incidência de aborto. Portanto, as anormalidades genéticas do espermatozóide estão intimamente relacionadas á morfologia.

O ICSI de Alta Magnificação (Super-ICSI) é uma nova técnica, que confere alto poder de resolução, graças a um novo sistema óptico que emprega objetivas para ampliação eletrônica das imagens e ótima resolução, atingindo um aumento de 6.300X vezes, permitindo a observação dos espermatozóides em detalhes possibilitando a seleção dos mais perfeitos, aumentando desta forma a probabilidade de sucesso no tratamento.

Na Fértil, clinica reponsável pela introdutação da técnica em Minas Gerais, todos os pacientes que tem indicação de tratamento com ICSI passam por essa minuciosa análise da forma dos espermatozóides, garantindo, assim, uma seleção mais apurada dos gametas masculinos, o que leva a um resultado final com maior chance de sucesso, devido a formação de embriões com melhor material genético, levando a maiores taxas de gestação.

Fertilização in vitro FIV

 

A fertilização In vitro (FIV) repete o processo natural e melhora as condições fisiológicas do casal, cumprindo os seguintes passos:

1. Indução da ovulação

Quando um casal se submete a tratamentos com Técnicas de Reprodução Assistida (seja esta In Vitro, ICSI, etc.) deve-se estimular o ovário com remédios, em doses variáveis para que produza mais de um folículo em cada ciclo (folículo é o lugar onde está o óvulo antes da ovulação).

2. Seguimento da indução da ovulação

Durante a administração da medicação, realiza-se uma monitorização ultra-sonográfica para verificação dos ovários quanto ao número e tamanho dos folículos. Além disso, realiza-se a dosagem dos níveis hormonais dos estrogênios que permitem definir o momento mais propício para realizar a aspiração dos folículos, visando uma maior quantidade possível de óvulos maduros.

3. Aspiração dos óvulos

Quando os folículos crescem um pouco e têm um tamanho adequado (aproximadamente entre 18 mm e 20 mm), efetua-se a aspiração de cada um deles. Para realizar este procedimento, a mulher recebe anestesia. Em seguida, com o auxílio do ultrassom, realiza-se a punção na parte superior da vagina, chegando a cada ovário, aspirando o líquido folicular, onde encontram-se os óvulos.

4. Amostra de sêmen

O homem colhe uma amostra de sêmen que será preparada no laboratório para ser utilizada durante o procedimento.

5. Fertilização In Vitro

Após algumas horas da obtenção dos óvulos e do preparo dos espermatozóides, realiza-se a fertilização em laboratório. Na fertilização in vitro, colocam-se os óvulos e os espermatozóides juntos em um meio de cultura, onde se espera que os espermatozóides fecundem os óvulos.

6. Desenvolvimento

Uma vez inseminados, os óvulos ficam incubados durante toda a noite. No dia seguinte, se constata se houve a fertilização. Os óvulos fertilizados continuam no meio de cultura para que prossiga seu desenvolvimento durante dois ou três dias. Neste período, já se atingiu o estado de embrião.

7. Transferência de embriões

De acordo com o desenvolvimento dos embriões, define-se com o médico o número de embriões que será transferido à mulher. Existem diferentes critérios nesta etapa: idade, causa da infertilidade, qualidade do embrião, etc. Mas, em geral, recomenda-se transferir até três embriões, diminuindo assim o risco de gravidez múltipla. A transferência é um procedimento muito simples, que não requer anestesia na paciente. Utiliza-se um catéter que passa através da entrada do colo uterino até a cavidade endometrial (lugar onde implantam-se os embriões) da mulher, onde eles são cuidadosamente depositados.

8. Implantação

É um conjunto de etapas pelas quais o embrião se adere e se implanta no endométrio. Após realizada a transferência dos embriões para o útero da mulher, eles terão que cumprir estas etapas para conseguir a gravidez.

9. Fase lútea

Em um ciclo natural, uma vez acontecida a ovulação, inicía-se a produção de um hormônio chamado progesterona que é muito importante para que a implantação ocorra. Geralmente quando se realiza uma aspiração folicular, a produção de progesterona é insuficiente, razão pela qual é necessário administrar progesterona intramuscular, oral ou vaginal após a aspiração. O período de administração de progesterona varia, de acordo com cada caso, podendo ser administrada até a 12ª semana da gestação.

10. Teste de gravidez

O teste de gravidez realiza-se entre o dia 12 e 14 após a transferência dos embriões. Medem-se os níveis sanguíneos de um hormônio que se produz no tecido que vai formar a placenta, que se chama hCG (hormônio gonadotrofina coriônica). Na América Latina existe uma taxa global de gravidez de 27.8% por ciclo de tratamento de Fertilização In Vitro (FIV), de acordo com o Registro Latino-americano.

Atualmente relatamos taxas de gravidez clínica pelo processo de Fertilização in vitro FIV em torno de 45% a 50% a depender do perfil do casal.

 

 

Inseminação

Trata-se de técnica simples, inaugurada nos primórdios da reprodução assistida e encontra-se hoje em segundo plano para o tratamento da infertilidade. Consiste-se em administrar medicamento à esposa e acompanhar o desenvolvimento folicular através de exame de ultrassom endovaginal.

Quando o folículo estiver maduro, administra-se  uma nova injeção de HCG e 24 a 36 horas mais tarde o sêmen do marido é beneficiado e introduzido dentro do útero, através da vagina, em procedimento simples semelhante a uma coleta de material para prevenção de câncer ,sem qualquer forma de anestesia pois é indolor.

 

Contato: orestesprudencio@hotmail.com